Archiv für den Monat: Dezember 2015

O preço que se paga por não pertencer a grupo nenhum

Ditadura de Esquerda ou Ditadura de Direita?

Eu não sou de Direita nem tampouco de Esquerda. Depois da posse da presidente Rousseff, o Brasil dividiu-se basicamente em dois grupos ideologicamente opostos e que nos últimos tempos vem se agredindo mutuamente de forma bem pouco ética. Após as eleições, por eu não ter votado em Dilma, fiquei desgostosa com o resultado das urnas e “entrei na onda” anti-Dilma que havia tomado conta do ambiente facebookiano. Eu via as pessoas postarem pedindo impeachment e compartilhei vários destes posts.

Mas o tempo foi passando … vi muitos amigos desfazendo amizades, amigos de infância até … muita gente se digradiando por causa de política … OK, para os brasileiros é bem difícil conviver com um governo que tem mostrado tendências autoritárias e uma orientação de esquerda marcante. Acredito que ninguém tenha mais dúvida, de que o objetivo do partido seja instaurar o comunismo no Brasil. Comunismo que faliu em todos os países em que foi implantado. Espanta-me perceber que alguns ainda enaltecem Stalin … sem atentarem para as atrocidades que foram cometidas contra o povo na União Soviética sob o império stalinista.

Por outro lado … fui acompanhando a evolução das críticas à presidenta Dilma Rousseff, e gradativamente o posicionamento da direita foi me desagradando mais e mais. Começou-se a falar em intervenção dos militares … bem, no começo pensei ser uma minoria … mas vi muitas pessoas que antes apoiavam Aécio Neves (a maioria por falta de opção), começarem a expressar seu desejo de uma intervenção militar no país. Ouvi comentários tipo “no regime militar só bandidos eram presos” … ou, nesta linha de raciocínio, „só bandidos ou comunistas eram torturados“ … aí justificando-se a tortura e propagando-se uma inverdade … segundo a qual somente comunistas eram torturados. Mentira! Eu digo isto com conhecimento de causa, pois uma das pessoas que mais amei e amo nesta vida, meu finado amigo Francisco Calbucci, foi vítima da tortura. Não somente ele, que era uma pessoa muito próxima, mas muitas outras, que eram amigos ou conhecidos de amigos meus.

E como fico agora? Eu sou uma criatura que se reserva o direito ao livre pensar. Se não sou de esquerda, se não sou petista, tenho que ser contra o aborto, a legalização da maconha e o casamento entre os homoafetivos entre outras questões? Tenho que ser conservadora? Tenho que bradar os gritos do antigo grupo „Tradição, Família e Propriedade“?

Por outro lado, se não sou de direita, tenho que aceitar a implantação do comunismo no Brasil passivamente? Tenho que renunciar aos meus valores, entre os quais o desejo de que os brasileiros continuem vivendo numa democracia, que a propriedade privada seja mantida e por aí afora? Se não sou de direta, tenho necessariamente que atacar o povo de Israel e defender os palestinenses? Tenho que me tornar uma antissionista? Tenho que defender as cotas raciais, só para não ser taxada de racista?
Enfim … quem faz questão de ser autêntico e não se calar paga um alto preço. Ninguém está comigo. Pois eu não pertenço a grupo nenhum, sou apenas uma criatura na reta final de sua existência, mas que ainda usufrui de um pouco de lucidez.

Vera Rodrigues-Rath, 04.12.2015