Archiv für den Monat: April 2006

SEM TÍTULO… OHNE TITEL… WITHOUT A TITLE…

Stefan: 3.Oktober.1973, in der Nähe von Burg Hocheppan.

Stefan perto do Castelo Hocheppan, em 3.10.73.

Wieder mal… close!

A mesma foto, close de Stefan.

Jemand „a little bit“ verrückt… Datum: 16.März.1972 (OK, bin ich!!!).

OK, sou eu sim, na época em que assumira o „pseudônimo de Arev“… um pouco „crazy“, em 16 de março de 1972.


 

Wolfgang Ambros – ZWICKT’S MI

 

Und wieder fahr i mit der U-Bahn von der Arbeit z’Haus

Draußen regnet’s, innen stinkt’s und i halt’s fast net aus.

Die Leit, ob’s sitzen oder stehn, alle schaun so traurig drein,

i glaub, des kommt vom U-Bahn fahr’n,

des kann doch gar nix anders sein!

 

Im Wirtshaus triff i immer an, der furchtbar viel erzählt,

Er is so reich, er is so gut, er kennt die ganze Welt.

In Wirklichkeit is er der Letzte, arbeitsscheu und dauernd blau,

dreckig is er, stinken tut er,

kurz er es a echte Sau!

 

Zwickt´s, i glaab, i tram,

des derf net wohr sein, wo sammer daham?

Zwickt’s mi, egal wohin,

i kann’s net glaub’n, des gibt doch keinen Sinn!

Aber zwick’n hilft halt nix, i steh daneb’n.

Könnt mer net vielleicht irgenwer a Watschn gebn?

Danke, jetzt is mer klor: Es is Wohr, es is wohr.

 

Die Jugend hat kein Ideal, kein Sinn für wahre Werte.

Den jungen Leuten geht’s zu gut, sie kannen keine Härte.

So reden die, die immer nur kuschen, geldgierig, bestechlich san,

nach’m Skandal dann pensioniert werden,

Kurz a echtes Vorbild san!

 

Zwickt’s mi, i glaab, i tram,

des derf net wohr sein, wo sammer daham?

Zwickt’s mi, egal wohin,

i kann’s net glaub’n, des gibt doch keinen Sinn!

Aber zwick’n hilft halt nix, i steh daneb’n

Könnt mer net vielleicht irgenwer a Watschn gebn?

Danke, jetzt is mer klor: Es is wohr, es is wohr

 

WOLFGANG AMBROS lyrics (link provavelmente desativado – acrescentado em 25.02.2013, na restauração do blogg.de)

 

Bem, quem foi Arev, isto é uma longa história e vou mantê-la sob a manta do mistério.

Beijos,

Verinha Rath.

MAMÃE, EU TE ADORO!!! MAMY, I LIKE YOU, I’M MISSING YOU… MAMY, ICH VERMISSE DICH, ICH BRAUCHE DICH!!!

 


Foto de mamãe tirada no último dia 9 de abril de 2006, em São Paulo, pelo meu irmão, em sua casa (dela). Notem que neste ano esta completará 85 anos de idade (ficou um loooooongo tempo sem ter filhos)

Mamãe no dia de seu casamento…

Mamãe e papai enquanto eu repousava na tranqüilidade de minha inexistência (parafraseando meu irmão)… Acredito que esta foto foi batida na lua de mel deles, em Buenos Aires…

MOMENTO DE PAUSA….. AT MOMENT, I NEED A PAUSE….. MOMENTAN, ICH BRAUCHE EINE PAUSE…..


Um dos quadros pintados por Stefan, sem a moldura. Notem sua assinatura. Além deste ele pintou três que estão na parede. Talvez outros… Para ver em tamanho ampliado, clique sobre o mesmo.

CLICK ON THE PHOTO TO SEE IT GREATER! CLIQUE NA FOTO PARA AMPLIÁ-LA!!!

Nova série de fotos enviada ao Flickr!!! CLICK ON THE PHOTO TO SEE IT GREATER! CLIQUE NA FOTO PARA AMPLIÁ-LA!

Stefaninho em Fendels, Áustria, numa viagem com seus alunos da qual eu não participei (preferi ficar em casa, foram 5 dias). Ele gastou os tubos com telefonemas pelo celular… não podíamos ficar sem nos falar, que fosse por telefone…

Visita ao cemitério em Plattling em 2003 – eu, Stefan, meu irmão (careca na foto) e mamy Rath. Fomos lá para que ela pudesse homenagear o grande amor de sua vida: papy Josef Rath.

Mesmo dia, Stefan bateu a foto – Dacio, mamy Rath e eu. Dacio tinha um carinho especial por mamy Rath, que também ficara encantada com ele…

Eu, Stefan e Dacio (eu super-gorda, com 16 quilos de excesso de peso) também em 2003, num fast food nos arredores de Donauwoerth. Dacio não aparece pois bateu a foto. Helga, se pegar esta foto me corte… risos…

Stefaninho quando estava em plena forma, magro, jogando tênis (provavelmente em Plattling, cidade onde nasceu)

Eu e Stefaninho na USP, em 2003, quando eu não estava lá muito em forma… esta foto foi batida pelo amigo Jaime, que lá faz doutorado, e extraída de um slide há tempos. Necessitaria ser reescaneada para ganhar em qualidade.


Ultimo levantamento da pesquisa, realizado em 05/04/2006, com 467 votos (penso em fechar com 500, ainda não decidi)

Se você deixasse o Brasil para residir na Alemanha em função de um grande amor, e um dia ele viesse a faltar, qual seria sua decisão?

Voltaria para o Brasil onde tenho minha família e amigos.

27,84% (130 votos)

Permaneceria na Alemanha e tentaria construir uma nova vida aqui.

22,91% (107 votos)

Deixaria que o tempo me iluminasse a respeito da melhor opção.

27,62% (129 votos)

Viveria parte do tempo em cada um dos países, mantendo residência em ambos.

11,78% (55 votos)

Sinceramente, eu não sei o que faria, não tenho a menor idéia.

9,85% (46 votos)

Total: 467 votos