Archiv für den Monat: Oktober 2005

ÚLTIMO POST EM SÃO PAULO, ANTES DE MEU RETORNO A DONAUWOERTH – MAIS UMA AMOSTRINHA DE FOTOS. EINTRAG EM HOMENAGEM AOS AMIGOS TÂNIA E NELSON.

Eu e minha amiga Tânia em sua casa. Conheço Taninha desde os tempos do segundo grau, e estivemos várias vezes juntas nesta viagem. Dá para notar que estou com uma jaqueta um tanto grande para os meus 51 quilos…

Tânia e seu esposo Nelson, grande amigo nosso – Stefan o queria muito, muito bem (assim como à Tânia, é claro!!! E vice-versa de ambas as partes)

A janela de minha kaputte Haus, numa noite quente em que choveu a cântaros em Sampa. Vista da área onde morava o meu gatinho Tico.

Um ângulo de minha rua, antes da forte tempestade que caiu menos de meia hora após.

O bar onde se tocava um animado Samba, que foi pra Cucuia com a fúria de São Pedro (este que é o santo da chuva, minha gente?).

Pois é, pessoal. Pela primeira vez tento editar uma Eintrag offline. Acabei de confirmar o meu vôo de volta, cuja reconfirmação segundo a cia aérea Lufthansa não seria necessária. Ontem eu estive aqui, mas estava sem condições físicas e principalmente emocionais de escrever. Embora eu abra totalmente o meu coração no blogg, sempre existe um limite… e justamente esta limitação me impede de escrever TUDO aqui. Por vezes assuntos envolvem OUTRAS pessoas, e daí… a coisa complica.

Mas vou ficar bem, amigos. Quando estiver novamente na minha Donauwoerth estarei bem. No momento é tudo o que quero, conseguir chegar inteira em minha casa, para os meus filhos e amigos que me esperam: Monika, Helmut, Andy, Tanya, e algumas pessoas mais… Bem, a Angela não citei, pois ela não mora na minha cidade, mas tanto ela como maninha & family me esperam!

O que vai ser de minha vida depois… veremos. Eu não obtive as respostas ainda, ou ainda não as decifrei. Isto é assunto para outro post…

E agora… o pavor inevitável do vôo de volta. O que assisti no filme Flightplan não de compara ao que se passa em minha imaginação quando entro num Aeroporto. Vou viajar sem ingerir nada, somente garrafinhas de diet shake a cada 4 horas, e tomarei o IMOSEC sublingual (Imodium AKUT lingual). Bem, se as condições de vôo não forem tão terríveis quanto na vinda, com turbulência o vôo todo, existe uma possibilidade de ingerir alguma coisa no jantar. Tudo vai depender das condições ambientes e psicológicas da amiga aqui.

Bem, hoje vou buscar os óculos (escuros) e fazer mais umas comprinhas no shopping Santa Cruz… as malas estou arrumando aos poucos, mas agora estou precisando de paz para tentar preparar-me psicologicamente para o retorno.

Beijos com carinho,

Verinha Rath – rezem por mim e pelo meu Stefaninho.

STEFAN RATH, 1985. This photo was taken probably in 1985, in Regensburg, when Stefan Rath was studying mathematics and  physics, before the beginning of his work like a teacher to Realschule Heilig Kreuz, in Donauwoerth.
Stefaninho, acompanhe-me em nosso retorno para Donauwoerth… ich brauche dich, ich liebe dich immer noch!

 

Nam-Myoho-Rengue-Kyo

Nam-Myoho-Rengue-Kyo

Nam-Myoho-Rengue-Kyo

 

FLASHS DO PASSEIO DE VERINHA & CESAR PELO VELHO CENTRO DE SÃO PAULO – NOSSA AMADA SAMPA. LEVANDO STEFANINHO NO CORAÇÃO, É CLARO!!!


Foto de Stefaninho fazendo careta, como era seu jeito… gangster…


 

REFLEXÕES SOBRE A VIDA X MORTE

 

A morte não é nada. Eu só me esgueirei até o quarto ao lado.

Eu sou eu, você é você. Seja o que for que tenhamos sido um para o outro, ainda somos.

Chama-me pelo nome de sempre. Converse comigo daquela forma espontânea que você sempre usou.

Não use um tom diferente. Não faça um ar forçado de solenidade ou sofrimento.

Ria como sempre ríamos das brincadeirinhas que nos divertiam.

Brinque… ria… pense em mim… reze por mim.

Deixe meu nome ser o nome familiar que sempre foi.

Deixe que seja pronunciado sem ênfase, sem um fantasma ou sombra nele.

A vida tem todo o significado que sempre teve. É a mesma que sempre foi.

Não há absolutamente nenhuma quebra de continuidade.

O que é a morte além de um pequeno acidente?

Por que devo ficar fora de seu coração só porque estou fora de sua vista?

Estou esperando por você – esse é só um intervalo.

Em algum lugar muito perto – virando a esquina.

Está tudo bem.

Texto extraído do livro „Luto – esclarecendo as suas dúvidas“, de Ursula Markham. Foi extraído de um sermão proferido por Henry Scott Holland, no Domindo de Ramos de 1910.



E agora amostras de fotos do nosso passeio no centro de São Paulo, aguardem mais pictures em outra ocasião!

Nesta foto aparecem os Edifícios Banespa, Banco do Brasil (onde trabalhei por 13 anos e 3 meses) e Martinelli. Autora: Vera Rodrigues-Rath, jornalista, Mtb. 13.912.

Banespa Martinelli e Banco Do Brasil – Detalhes „aero-espaciais“. Autor da foto: Cesar Matiusso.

Verinha de olhos arregalados no velho centro… mundos mortos? Bem, com esta jaqueta enorme não dá pra ver que estou magrim… sorriso.

Uma foto de Cesar naquela pracinha na Av. São João (Antonio Prado, é este o nome?). Tenho mais duas dele, onde está mais próximo… mas estas ficam pra depois… risos… O CESAR É MUITO MAIS BONITO PESSOALMENTE DO QUE NAS FOTOS!!!

Stefaninho adorava o metrô, e costumava brincar quando via esta placa: „ESTAÇÃO EMERGÊNCIA“. Fica como homenagem a Stefaninho (foto batida por mim outro dia juntamente com várias do metrô de Sampa, que também ficarão pra depois…

 

Pois é, amigos… acho que consegui elaborar pelo menos uma Eintrag em Sampa. As dificuldades técnicas são inumeráveis, mas fiz o meu possível. E o texto que coloquei não corresponde ao que sinto a maior parte das vezes, mas ao que eu gostaria de sentir…

Beijos a todos, vou reduzir as Einträge aparentes para duas, até por egoísmo (risos sonados…) pois eu mal consigo abrir a página no meu modem…

Inté,

Verinha Rath – em busca de seu elo espacial perdido…