Archiv für den Monat: Dezember 2004

FOTOS DE NATAL EM DONAUWOERTH QUE RELUZ A GRAUS NEGATIVOS!!! PHOTOS OF CHRISTMAS IN DONAUWOERTH, GERMANY, LIGHTS OF THE NIGHT!!! BILDERN VON WEIHNACHTEN – DONAUWOERTH, BAYERN!!!

Primeira da amostrinha de fotos que tenho no micro da Reichsstrasse às vésperas do Natal. Descendo no sentido da Prefeitura…

Um ônibus, vejam que iluminação linda!!!

Sonhando com o romantismo desta linda cidade… Esta luminária…

Todos paravam diante do meu flash, que por vezes me deixava na mão… demorava a ser ativado com o pessoal esperando…

Duas simpáticas moças, aparentemente animadas apesar do frio… bbbbbbrrrrrrrrrr

Uma loja, todas estavam abertas a esta hora… pouco antes das 18 horas.

Foto batida perto do Münster, monastério – parte alta da Reichsstrasse.

Notem os enfeites daquela loja do lado esquerdo… demais… tenho TANTAS outras fotos… só no site mesmo, que talvez eu ative loguinho!!!

Outra variação…

Nada como uma Bäckerei para saborear deliosas tortas e bolos… Pode-se comprar pães, mas também muitas delícias!!! Ai, minha dieta… snif, snif…

Uma linda árvore de Natal defronte a um órgão público… acho que a POLÍCIA!!!

E AGORA… AND NOW… UND JETZT… FOTOS DA CASA NATALINA!!! PHOTOS OF CHRISTMAS HOUSE!!! BILDERN VON
WEIHNACHTENSHAUS!!!

Fora de Donauwoerth, num pequeno vilarejo… uma verdadeira casa natalina!!! Na foto reduzida vocês não podem perceber quão linda é esta verdadeira CHRISTMAS HOUSE (WEIHNACHTENSHAUS)!!!

Outra foto… nas dimensões que o blogg permite… se é que não estourei minha cota!

A mesma casa de sonhos, vista lateral…

Realmente, gente, estas fotos só podem ser vistas satisfatoriamente no site. O blogg não as comporta e elas perdem muito do efeito…

O jardim da casa iluminada… Sheilinha, lembrei de você… risos… seu pacote chega amanhã, vai saber porque!!!

Stefan esperando por mim no carro, gelado… congelando… esta noite a previsão é de 13 graus NEGATIVOS!!! TREZE GRAUS NEGATIVOS!!!

Vambora!!! Back home, zurück nach Hause… E por hora é só, aguardem o site!!!

Bem, gente… depois escrevo algo aqui… ficou sem texto!!! Quero ler os comments de vocês e estou kaputt… Mas algo que preciso fazer urgentemente é ativar os sites, pois qualquer hora estoura meu limite de 100 megas aqui, enquanto que em todos os sites juntos tenho MUITO mais…

Criei um bloguinho hoje, imitando o Cesar… mas é só pra bobagens sobre a língua alemã… Adorei o lance das cores, pois dá pra dividir as palavras em suas várias partes integrantes… como o lego da Helena!!!

E logo, logo, na página do Tierheim, vamos ter o depoimento de Stefan com fotos de nossos filhinhos!!!

É a página do Website referente a bichinhos que encontraram quem os adoptasse…

A página é esta, mas não estamos lá ainda…

http://www.tierschutz-donauwoerth.de/html/habegefunden.html

Beijos,

Verinha – até algum momento na Net ou por outro meio…

MAIS FOTOS – PICTURES DO TIERHEIM (LAR DOS ANIMAIS) QUE ABRIU SUAS PORTAS NO DIA DE HOJE PARA COMEMORAR O NATAL DOS BICHINHOS DE DONAUWOERTH E ARREDORES.

Entrada para o Tierheim de Donauwoerth e arredores. Site:
Tierschutzverein Donauwörth und Umgebung e. V.

Outra vista. Aqui se pode ver uma árvore de Natal e a tenda dos comes e bebes, onde foi servida uma deliciosa bebida quente não alcoólica e deliciosas bolachinhas caseiras.

Nesta tenda foi servida a bebida e as guloseimas.

Aqui era servido uma espécie de „quentão“ super quente e sem a adição de álcool. Provei, uma delícia… aquece mesmo!!!

Stefan, provando desta deliciosa bebida quente e saboreando umas bolachinhas… Pensando, pensando… se levaríamos ou não a gatinha…

Sim, esta bichaninha acima… nós dois nos apaixonamos e achávamos que estava sozinha… mas não: ela tem vários irmãos. Por este único motivo não a trouxemos, pois não queríamos separá-las dos irmãozinhos, que também ficariam tristes.

Dentro da tenda, mais pessoas comemoravam o Natal dos Bichinhos!!!

Chegando em casa, à noite, o boneco de neve elaborado por Andy ainda estava lá… Gente, o que tinha de criança brincando de jogar neve nas ruas…

Bem, este foi um resumo fotográfico de nossa ida hoje ao Tierheim. Tirei quase 200 fotos somente no dia de hoje, mas realmente o local para tantas imagens e sem limite de tamanho são os sites www.verinha.de ou www.verinha2.de .

E descobrimos que não existia mais irmãos de Pimbol ou Pimbolinha disponíveis… não entendi muito bem, mas os que estavam lá já teriam sido adotados por alguém… E como a nossa gatinha tinha os seus irmãozinhos, decidimos deixá-la na companhia deles, ou teríamos que voltar para casa com mais uns quatro gatinhos, por aí… Mas doamos um $$$$$$ para todos os bichinhos da instituição… Stefan e eu também, e o fizemos do fundo do coração… Afinal, amamos demais os animais.

Beijos,

Verinha (agora acho que sai, gente… estou pra detonar os sites e estar menos presente nos comments – mas quem quiser meu e-mail e não tiver, é só perguntar, OK???)

FINALMENTE NEVA, NEVA, NEVA SEM PARAR EM DONAUWOERTH; VERINHA SAI ÀS RUAS FOTOGRAFANDO TUDO!!! SNOWING, SNOWING ON AND ON… VERINHA GOES OUT TO TAKE MANY, MANY PHOTOS!!!





Foto batida nos arredores de nossa casa, quando nevava muito. Voltei toda respingada de neve, inclusive a câmara fotográfica.

Vista de nossa rua hoje, dia 19 de dezembro de 2004. Finalmente começa o inverno natalino nesta maravilhosa Deutschland!!!

Foto de nossa casa, tirada da esquina. Nosso andar é o do meio, onde se vê a extensa varanda (Balkon) com a antena da globo à direita.

Nesta foto pode ser visto o nosso jardim, nossa casa e o carro de Helmut, nosso vizinho, coberto pela neve. O nosso está na garagem.

<

Respingos de neve no braço e mão de Mamãe Noel.

Verinha pisando na neve… este é meu sapato de inverno (um deles).

Sessão auto-retrato após a excursão pela neve. Meu novo modelito anti-congelamento, para ser usado também em estações de esqui.

Um close da Verinha aqui. Notem que uso uma roupa térmica por baixo do meu pullover também anti-frio.

Nada a ver: Pimbolinha admirando Stefan a digitar no micro… ahahahahah


CHOVE? NENHUMA CHUVA CAI…

Ai, que saudades daqueles dias brancos e frios! Eu era tão pequena e frágil; a chuva lá fora resguardava-me junto ao cálido leito, onde, enroscando-me por entre lençóis e cobertas, à meia-luz, devorava torradas e gibis, ao abrigo das intempéries de um mundo hostil.

De quando em quando, voltava o olhar para a janela, persiana aberta e vidros cerrados, de onde degustava um muro branco, quase brilhante, claro como a chuva e a neve. Sempre chovia e nevava no muro de meus sonhos.

Era mais um daqueles dias preciosos, nos quais, fingindo-me enferma, mantinha-me à distância da escola, palco de sofrimentos indizíveis, dores que o meu coração de criança não podia suportar. Havia dois mundos opostos e inconciliáveis, cujas fronteiras definiam-se a partir da soleira da porta de minha casa. Era preciso não misturá-los: não macular o meu mágico universo familiar com os horrores que conhecera lá fora.

Agarro-me fortemente aos lençóis, sinto o calor e aconchego de minha cama de doente, único canto onde me sinto protegida, livre para sobrevoar os arco-íris de um universo fantástico, livre para tudo querer e para tudo poder ser, levitando entre estrelas e planetas, contemplando, do infinito azul, a pequenez da Terra e seus habitantes. Talvez até chova em algum recanto. Mas aqui, nenhuma chuva cai.

Vera de Azevedo Rodrigues, S/D

DOES IT RAIN? NOT A DROP HAS FALLEN IN HERE…

Oh! How I miss those white and cold days! I was so small and fragile, the rain outside kept me indoors, warm and covered with sheets and blankets, where, in a semidarkness, I devoured toasts and comic books under the shelter away from the adversities of a hostile world.

From time to time, I would glance the window with the opened blind and closed glasses, from where I used to appreciated a white wall with a diamond’s brightness , clear as the rain and the snow. It used to rain and snow in the wall of my dream!

It was one of those precious days, in which pretending I was ill, I would keep myself away from school, a place of uncountable sufferings, pains that my child?s heart and soul could not tolerate. There were two different and opposed worlds that could never fit together, whose borderline was delineated at my step door. How important and necessary was to maintain these different worlds apart and well distinguished from each other without spoiling my magic and familiar universe with the horrors of outside!

I hold on strongly to my sheets, feeling the heat and comfort of my bed, the only place where I feel secure and safe, and at the same time, I feel free to fly over the rainbow of a fantastic universe, free to wish everything, to do everything and most of all, to really be whatever I want to be. Levitating among stars and planets, just gazing upon from the infinite blue how small the Earth and its habitants are. Maybe it rains in some place else, but here not a drop has fallen?

Vera de Azevedo Rodrigues (translation by Patrícia Couto Abrantes, a great friend and English teacher)

Beijinhos, a gente se vê por aí…

Verinha

DONAUWOERTH ÀS VÉSPERAS DO NATAL: ÁRVORES TINGIDAS DE BRANCO, VERINHA ENFRENTA UM FRIO DE GRAUS NEGATIVOS… BBBBBBRRRRRRRR

Algumas folhas respingadas de neve, talvez o prenúncio de uma Donauwörth toda branca nos próximos dias

Uma árvore, nos arredores de uma escola aqui próxima de casa.

Mais árvores e o branco que as recobre…

O alvo deste breve passeio a uns dois ou três graus negativos: a caixa coletora do Deutsche Post, chamada de Briefkasten.

Esta rua nos leva ao Centro de Donauwoerth, é a mesma onde está a Briefkasten. Coragem deste sujeito andando de bike…

Nossa casa, finalmente…“‚LAR, DOCE LAR. HOME, SWEET HOME, GEMÜTLICHES ZUHAUSE“.

A árvore de Natal de minha simpática vizinha da frente! Hoje disse a ela o quanto eu admiro esta árvore, que todas as noites olho pela janela e sonho…

Verinha semi-ninja, com a máscara „disfarçada“ de cachecol… (o lindo cachecol de Anelise não combina com esta minha roupa de NINJA)… e um capuz ridículo!!! Stefan bateu esta foto à minha revelia, sob o meu protesto!

Gente, não é truque do Paint Shop Pro não… meu nariz fica vermelho como tomate se eu saio com a cara exposta… ou vermelho-palhaço, uma mavavilha!!!

Bem… acho que lotou a página, não é??? Tinha muito mais fotos, mas ainda continuo teimando e colocando no lugar errado…

BOMBA!!! Hoje consegui despachar o 35.o cartão de Natal… FINITO!!! A família toda e quase todos os amigos receberão! Aqui do blogg apenas os muito novos ou os que não me passaram o endereço… e a Sheilinha, pois nós duas não somos cristãs, e ela vai receber um pacote de bugigangas!!! ahahahahah

Beijos, AQUELE ABRAÇO…

Verinha

NOSTALGIA: UMA SINGELA HOMENAGEM A JANIS JOPLIN. NOSTALGIE: A MODEST HOMAGE TO JANIS JOPLIN.





Uma montagem que fiz hoje, a partir de uma foto de Janis Joplin e outra de Stefan nos seus tempos de adolescente. À esquerda Janis Joplin; à direita, de camisa xadreza, meu Stefaninho.

A montage made for me, using two pictures: Janis Joplin and Stefan Rath, my man, in his teenager’s time. Left side, Janis Joplin; right side, my dear Stefan, wearing a chequered shirt.

Uma foto de Janis Joplin, que editei utilizando-me do programa Paint Shop Pro 9. A Janis Joplin’s picture that I found in Internet, worked by me using the program Paint Shop Pro (version 9).

MAIS FOTOS… MORE PICTURES…

Verinha em Nova Friburgo, com 19 anos de idade. Envelheci a foto através de um efeito especial, assim como as seguintes. Estava fumando um cigarro…

Eu e meu irmão Dacio, que neste exacto momento encontra-se na cerimônia de seu casamento (às 21 horas e pouco do dia 11 de dezembro de 2004). Na época éramos um cadim mais jovens, e eu ainda mais alta que ele…

Stefan gatíssimo, jogando volley ou algo que o valha. Usei o mesmo recurso de envelhecimento do papel das fotos anteriores.

Gostou das fotos? Veja mais na série NOSTALGIA do site!


Midi „ME & BOBBY MCGEE“, intérprete Janis Joplin.

ME & BOBBY MCGEE

Busted flat in baton rouge, waiting for a train
And i?s feeling nearly as faded as my jeans.
Bobby thumbed a diesel down just before it rained,
It rode us all the way to new orleans.

I pulled my harpoon out of my dirty red bandanna,
I was playing soft while bobby sang the blues.
Windshield wipers slapping time, I was holding bobby?s hand in mine,
We sang every song that driver knew.

Freedom is just another word for nothing left to lose,
Nothing don?t mean nothing honey if it ain?t free, now now.
And feeling good was easy, lord, when he sang the blues,
You know feeling good was good enough for me,
Good enough for me and my bobby mcgee.

From the kentucky coal mines to the california sun,
Hey, bobby shared the secrets of my soul.
Through all kinds of weather, through everything that we done,
Hey bobby baby kept me from the cold.

One day up near salinas, lord, I let him slip away,
He?s looking for that home and I hope he finds it,
But I?d trade all of my tomorrows for one single yesterday
To be holding bobby?s body next to mine.

Freedom is just another word for nothing left to lose,
Nothing, that?s all that bobby left me, yeah,
But feeling good was easy, lord, when he sang the blues,
Hey, feeling good was good enough for me, hmm hmm,
Good enough for me and my bobby mcgee.

La la la, la la la la, la la la, la la la la
La la la la la bobby mcgee.
La la la la la, la la la la la
La la la la la, bobby mcgee, la.

La la la, la la la la la la,
La la la la la la la la la, hey now bobby now bobby mcgee yeah.
Na na na na na na na na, na na na na na na na na na na na
Hey now bobby now, bobby mcgee, yeah.

Lord, I?m calling my lover, calling my man,
I said I?m calling my lover just the best I can,
C?mon, where is bobby now, where is bobby mcgee, yeah,
Lordy lordy lordy lordy lordy lordy lordy lord
Hey, hey, hey, bobby mcgee, lord!

Yeah! whew!

Lordy lordy lordy lordy lordy lordy lordy lord
Hey, hey, hey, bobby mcgee.

I?d like to do a song of great social and political import.
It goes like this:

…………

Beijos,

Verinha